sábado, 27 de fevereiro de 2010

Hábitos Bucais Deletérios de Sucção x Má-Oclusão

Os hábitos bucais deletérios de sucção podem interferir no padrão normal de crescimento craniofacial, sendo considerados agentes etiológicos da má-oclusão.
           O que determina se o hábito deletério de sucção trará conseqüências ao individuo é a Tríade de Graber: DURAÇÃO, FREQUÊNCIA E INTENSIDADE.

Nos primeiros seis meses de vida, a amamentação no seio materno constitui uma potente “matriz funcional”, tendo como função estimular o crescimento e desenvolvimento antero-posterior da mandíbula.

MAMADEIRA
            A amamentação via mamadeira sacia a fome, mas não satisfaz o desejo de sucção, então a criança busca o dedo ou a chupeta para complementar.

            Conseqüências da mamadeira inadequada:
            - Não exige muito esforço durante a sucção, por isso recomenda-se que o orifício do bico da mamadeira não seja muito amplo para que assim a criança realize um esforço pra obtenção do leite e satisfação do instinto de sucção. É preferível a utilização do bico ortodôntico.
            - Pressões musculares anormais, boca demasiadamente aberta.

CHUPETA
Conseqüências do hábito de sucção de chupeta:
- Mordida aberta, deglutição atípica, vestíbulo-versão dos incisivos superiores, diastemas generalizados, mordida cruzada posterior  e overjet.

SUCÇÃO DIGITAL
            Conseqüências do hábito de sucção digital:
      -Vestíbulo-versão dos incisivos superiores, linguo-versão ou retroinclinção dos incisivos inferiores, overjet acentuado, mordida aberta anterior, atresia da maxila – mordida cruzada posterior, degliutição atípica com interposição do bordo anterior da língua e/ou lábio inferior.

TRATAMENTO DOS HÁBITOS DELETÉRIOS
           -Até os 4 anos: remoção do hábito – auto-correção;
        -Após 5 anos: remoção do hábito, conscientizar o paciente, conversar com os pais, abordagem multidisciplinar (ortodontia + fonoaudiologia + psicologia).



*Pesquisa realizada em 2009 por:
Paula Lawall
Paula Martins
Rochele Pereira
Suelen Rodrigues
*Estudantes de Odontologia da PUCRS

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Automedicação e Dor de Dente

É comum a prática da automedicação em casos de dor de dente.

A AUTOMEDICAÇÃO é a prática de ingerir medicamentos sem o aconselhamento e/ou acompanhamento de um profissional de saúde qualificado. Sendo que a maioria dos farmacêuticos não se preocupa em pedir a prescrição médica, principalmente aqueles com maior tempo de trabalho na área e menor qualificação profissional.

A DOR exerce um impacto tão grande em uma pessoa, que, muitas vezes, a leva a se automedicar. Levando em consideração que a DOR DE DENTE é uma das mais prevalentes entre a população e também uma das mais incômodas. Não é fácil suportar a dor de dente. A automedicação pode promover um alívio momentâneo e a dor poderá voltar depois de algumas horas. Isso ocorre pois a causa do problema não foi tratada, podendo ser uma cárie, por exemplo.

Com os cuidados dentários atuais e checkups regulares, a torturante dor de dente não é mais tão comum quanto antigamente. No entanto, sentir qualquer dor nos dentes É UM SINAL QUE NÃO DEVE SER IGNORADO, mesmo que ela desapareça sozinha.

Alguns tipos de dor precisam da atenção imediata do dentista. Se você sentir uma dor forte quando morder, por exemplo, pode ser que tenha uma cárie, obturação solta, dente quebrado ou polpa danificada. A dor que permanece por mais de 30 minutos depois de comer comidas quentes ou frias também pode indicar dano na polpa, causada por cáries profundas ou traumas no dente. A dor de dente clássica, com dores fortes e constantes, inchaço e sensibilidade, é definitivamente um mau sinal.
 Se um dente dói a ponto de você não conseguir dormir ou interfere no seu dia-a-dia normal, É HORA DE LIGAR PARA O DENTISTA. O problema pode ser um abscesso dentário, que ocorre quando a polpa do dente morre, resultando em uma infecção que pode se espalhar para a gengiva e até mesmo para o osso.
Dores na polpa do dente são um pouco complicadas. Elas avisam que tem algo de errado, mas os nervos da polpa morrem rapidamente (em apenas 12 horas), e depois disso a dor desaparece. No entanto, em pouco tempo o dente começa a doer de novo, já que o tecido morto fica infectado ou com abscesso.
É POR ISSO QUE, DEIXAR O DENTISTA PARA DEPOIS, EM CASOS DE DOR DE DENTE PODE NÃO SER RECOMENDÁVEL. MAS SE FOR 3 DA MANHÃ OU DOMINGO À TARDE, VOCÊ PODE TOMAR AS MEDIDAS TEMPORÁRIAS A SEGUIR PARA LIDAR COM A DOR ATÉ PODER IR AO DENTISTA.

Tome aspirinas, paracetamol ou ibuprofen - são os mesmos comprimidos que você toma para as dores do dia-a-dia. Ibuprofen é a melhor opção, já que diminui a inflamação que pode acompanhar a dor de dente. 
Use óleo de cravos - você pode comprá-lo em uma farmácia. Siga as instruções de uso cuidadosamente, pois ingerir muito óleo pode causar envenenamento. Certifique-se de colocá-lo apenas no dente e NÃO na gengiva, senão a queimação que sentir vai fazer você esquecer da dor de dente em pouco tempo. Lembre-se de que o óleo de cravos não vai curar a dor de dente, apenas anestesiar o nervo temporariamente.
Diminua o inchaço - coloque uma compressa fria na bochecha se a dor de dente causar inchaço.
Alivie a dor - deixar um cubo de gelo ou água gelada na boca pode aliviar a dor. Pule esta opção se perceber que isto simplesmente aumenta ainda mais a sensibilidade.
Mantenha a cabeça elevada - elevar a cabeça diminui a pressão na área e pode reduzir a dor latejante.
Bocheche - a água não vai levar a dor embora (apesar deste ser um pensamento agradável), mas você pode bochechar água quente para remover qualquer resto de comida que pode estar causando ou piorando a dor. Um pedaço de comida que fica preso na gengiva pode doer tanto quanto polpa danificada. Misture uma colher de chá de sal em um copo de água quente e faça bochechos, expelindo a água em seguida.
Use fio dental - não, não é um remédio, mas usar o fio dental é outra maneira de remover os restos de comida que podem estar presos. A ponta de borracha da sua escova ou um palito de dentes (se usado com cuidado) ajudam a remover a comida também.
Tenha cuidado com comidas quentes, frias ou doces - elas podem piorar a dor e a sensibilidade.
Coloque gaze - se o dente ficar sensível ao ar, cubra-o com gaze ou com um pequeno pedaço de cera dental (disponível em muitas farmácias).


Fontes de pesquisa:


quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Sorrisão # 2


De quem é este sorriso?? Clique aqui e descubra!

Erosão Ácida

A erosão é um tipo de lesão não cariosa que se desenvolve como conseqüência da perda de estrutura dental causada por ação química, sem o envolvimento de bactérias e pode ter origem intrínseca ou extrínseca.

CAUSAS
     Os fatores causadores extrínsecos são: dieta (frutas, bebidas ácidas), meio ambiente (indústrias químicas, piscinas cloradas) e medicamentos (vitamina C, aspirina, ácido clorídrico).
     Os fatores intrínsecos são: doenças que provocam regurgitação do suco gástrico,cujo pH está em torno de 2,3, em pacientes que apresentam bulimia, anorexia nervosa e refluxo gastroesofágico.
     Trabalhos recentes têm mostrado que os alimentos, em especial as bebidas ácidas, são os que mais têm relação com a ocorrência da erosão dentária, como resultado do contato freqüente destes com os dentes.

A etiologia da Erosão é multifatorial.

         Os fatores podem ser divididos em: biológicos, químicos e comportamentais.

         Biológicos: características da cavidade bucal. A posição dentária, a anatomia do tecido mole, a qualidade do tecido dentário e as propriedades salivares podem estar envolvidas no processo erosivo, levando a um maior ou menor risco.

         Químicos: propriedades da bebidas que contribuem para o desenvolvimento da erosão – tipo e quantidade de ácidos, pH, capacidade tampão, concentração de fosfato, cálcio e fluoreto também irão influenciar no grau de erosão.

         Comportamentais: a freqüência, tempo e forma de consumo de bebidas, até mesmo hábitos de higiene bucal.


SINAIS
                    Estados iniciais:
         sensibilidade no momento do consumo de comidas ou bebidas frias;
         aspecto arredondado da superfície do dente;
       os dentes tornam-se amarelados à medida que os ácidos desgastam o esmalte e a dentina subjacente vai sendo exposta.

                    Estados avançados:
         coloração ainda mais escura dos dentes;
         transparência dos bordos incisais;
         pequenos traços de fratura nos bordos incisais;
         sensibilidade severa;
         pequenas fossas na superfície dos dentes.

BIOQUÍMICA DA EROSÃO DENTÁRIA
                    O mecanismo bioquímico da erosão é definido como uma desmineralização da estrutura dentária devido à ação de ácidos não oriundos de microrganismos. O potencial de ataque erosivo está intimamente correlacionado com a acidez – pH da solução que entraria em contato com o dente.

              No esmalte, 85% de seu volume é composto por hidroxiapatita.
»         pH crítico -  5,5

              Na dentina a quantidade de minerais é bem menor em função da presença das fibras colágenas, desta forma 47% de seu volume corresponde à hidroxiapatita.
»         pH crítico – 6,5
O ataque ácido provoca a desmineralização da estrutura dentária, ou seja, dissolução dos cristais de apatita que pode resultar na lesão superficial.

A um nível crítico, a erosão dentária leva a perda irreversível de suas estruturas, se tornando mais suscetível à abrasão e atrição, devido ao amolecimento das estruturas de superfície – o esmalte.

PREVENÇÃO

            Evitar escovar os dentes imediatamente após o consumo de comidas ou bebidas ácidas - é preferível aguardar pelo menos 1 hora ou escovar antes de se alimentar; 
           
            Diminuição na frequencia de ingestãode bebidas ácidas. Quando consumir refrigerantes ou bebidas gaseificadas dê preferência ao uso de canudos - não as agite ou retenha por longos períodos na boca;

            A estimulação salivar após o consumo de bebidas ácidas, através do uso de chicletes, também tem mostrado um papel protetor em relação à erosão.

            O consumo de queijo e leite,após um ataque erosivo também pode ser considerado uma medida preventiva, já que apresentam alta concentração de cálcio, que favorece a remineralização da lesão.

Odontologia na TV!

Alguns desenhos, filmes e seriados que já exibiram cenas de dentistas, fada do dente e essas coisas todas da Odontologia!!!

1- American Dad



2- Barney

3- Doug

4- The Flintstones

5- Hannah Montana

6- Johnny Bravo

7- The Simpsons

8- South Park


9- Bob Esponja

10- Procurando Nemo

Clareamento Dentário


Dentes brancos, bem alinhados e contornados são indispensáveis ao padrão de beleza estabelecido nos dias de hoje. Mas não podemos esquecer que, para termos dentes perfeitos, precisamos de uma alimentação adequada, além de uma perfeita higiene bucal. As pessoas costumam chegar no consultório odontológico com várias dúvidas sobre o clareamento dentário. As mais freqüentes são quanto ao procedimento a ser utilizado e à duração do mesmo.

 A causa e a intensidade da alteração da cor dos dentes são fatores determinantes para o processo de clareamento a ser usado. Existem, basicamente, dois tipos de alterações: as causadas por fatores externos (manchas superficiais provocadas pelo fumo, café, bebidas e alimentos com corantes, acúmulo de placa bacteriana, etc.) e as provocadas por fatores internos ( má formação dentária, medicamentos, traumatismos, tratamentos de canal, etc.).

Causas externas geralmente são mais fáceis de serem removidas pelo dentista, bastando uma limpeza com pastas abrasivas apropriadas ou mesmo, no caso de manchas de alta concentração, raspagem seguida de polimento da superfície dentária.

Causas internas provocam manchas que se originam de fatores relacionados à saúde do dente, e refletem a vitalidade do mesmo. Nesses casos, são realizados tratamentos específicos com substâncias químicas. Para ambas situações, os resultados são bastante satisfatórios.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Sorrisão # 1


Como é possível viver com saúde?

 Um grande número de doenças crônicas, como problemas cardíacos, respiratórios, câncer, diabetes e doenças bucais têm um fator de risco comum: uma alimentação incorreta, consumo exagerado de açúcar, sal e gorduras, bem como hábitos nocivos à saúde (álcool e fumo). Portanto, uma mudança comportamental em relação a esses fatores influirá decisivamente na conservação de uma boa saúde.

Dicas importantes para a manutenção da saúde bucal:
- Faça a higienização bucal adequadamente depois de todas as refeições, usando fio dental, uma escova macia e creme dental com flúor.
- Evite ao máximo o consumo de açúcar, principalmente entre as refeições.
- Sempre escove os dentes e passe o fio dental antes de dormir!
- O dentista é a pessoa mais adequada para orienta-lo na prevenção da saúde bucal. Siga suas orientações e visite-o na freqüência que ele indicar.


Viver com saúde é garantir melhor qualidade de vida.

OdontoFoto nº1

Registro do encontro de dentistas, professores e estudantes de Odontologia da PUCRS, Ulbra e UFRGS na Praça da Redenção em Porto Alegre, dia 25 de outubro de 2009. Com atividades de conscientização sobre o auto-exame da boca como prevenção do câncer bucal. Alguns dos professores presentes foram: Salete Maria Pretto e Joaquim Cerveira. E todos vestindo a camiseta com o tema: “COPA 2014 É SÓ ALEGRIA, SAÚDE NA BOCA DO POVO”

Dentição de "Leite" e Permanente

Dentição de Leite

Por volta dos 6 meses de idade nascem os primeiros “dentes de leite” e perto dos 3 anos está completa a dentição temporária, com 20 dentes. Esses dentes, apesar de menores, têm as mesmas características e precisam dos mesmos cuidados, para garantir na infância uma boa saúde da boca.

Dentição Permanente

Aproximadamente aos 6 anos de idade aparecem os primeiros molares permanentes, que apontam logo atrás dos últimos dentinhos de leite. Até cerca dos 12 anos ocorre a troca da dentição de leite pela dentição permanente, que ficará completa por volta dos 20 anos de idade, quando surgem os terceiros molares ou “dentes do siso”. Essa dentição, com 32 dentes, é para o resto da vida. Tanto a arcada superior como a inferior devem ter 16 dentes permanentes.

As duas dentições têm funções muito importantes:
Mastigação – todo alimento deve ser triturado na boca, para iniciar a digestão sem sobrecarregar o trabalho do estômago.
Pronúncia – sem a ajuda dos dentes é impossível pronunciar algumas palavras ou letras, como c, d, f, s, t, v e z.
Beleza – um sorriso com dentes saudáveis sempre tornará a pessoa mais bela.

Fada do Dente

Auto-Exame da Boca

O que é o auto-exame da boca?

Fazer o auto-exame é tão simples que você pode fazer em casa, com um espelho, num ambiente bem iluminado. Com ele, você pode identificar lesões precursoras do câncer de boca, uma doença curável, se tratada desde o início.

Como fazer?
Atenção: As pessoas que usam próteses devem remove-las antes de começar o exame!
1-     De frente para o espelho, observe a pele do rosto e do pescoço.
2-     Veja se encontra algum sinal que não tenha notado antes.
3-     Puxe o lábio inferior para baixo, expondo a sua parte interna (mucosa). Em seguida, apalpe todo o lábio. Faça o mesmo com o lábio superior.
4-     Com a ponta do dedo indicador afaste a bochecha para examinar a parte interna da mesma. Percorra toda a gengiva superior e inferior. Faça isso mos dois lados.
5-     Coloque a ponta da língua no céu da boca. Examine a língua e o assoalho da boca.
6-     Incline a cabeça para trás e, abrindo a boca o máximo possível, examine atentamente o céu da boca. Diga “ahhhh” e observe o fundo da garganta.
7-     Ponha a língua para fora e observe a parte de cima. Repita a observação com a língua levantada até o céu da boca. Em seguida, puxando a língua para a esquerda, observe o lado esquerdo da mesma. Repita o procedimento para o lado direito.
8-     Estique a língua para fora, segurando-a com um pedaço de gaze ou pano, apalpe em toda a sua extensão com os dedos indicador e polegar da outra mão.
9-     Examine o pescoço. Compare os lados direito e esquerdo e veja se há diferença entre eles. Depois apalpe o lado esquerdo do pescoço com a mão direita. Repita o procedimento para o lado direito, apalpando com a mão esquerda.
10-  Finalmente, introduza o polegar por debaixo do queixo e apalpe suavemente todo o seu contorno inferior.

O que procurar?

Ao realizar o exame procure mudanças na cor da pele e mucosa, endurecimentos, caroços, feridas, inchações, áreas dormentes, feridas, inchações, áreas dormentes, feridas que não cicatrizam, dentes quebrados ou amolecidos. Em qualquer um desses casos, procure imediatamente um dentista ou médico. Previna-se do câncer de boca reduzindo o fumo e o álcool. FAÇA ESTE EXAME DUAS VEZES POR ANO.



domingo, 21 de fevereiro de 2010

Vancouver2010: alemão parte dente ao morder medalha

O alemão David Moeller venceu a medalha de prata na modalidade de luge, nos Jogos Olímpicos de Inverno, que decorrem em Vancouver, no Canadá. No entanto, o germânico ficou mais conhecido por aquilo que aconteceu depois de receber a prata. Trincou a medalha e partiu um dente, de acordo com o «Bild Zeitung».



«Os fotógrafos queriam fazer uma foto com os atletas a morder as medalhas e eu rompi parte do incisivo superior», disse David Moeller, de 28 anos. O alemão resolveu a questão de modo rápido, uma vez que recorreu ao dentista que acompanha a delegação germânica. «Não é dramático e não dói», concluiu.


Fonte: http://www.maisfutebol.iol.pt/jornal-do-incrivel/vancouver-2010-jogos-olimpicos-inverno-david-moeller-medalha-dente-maisfutebol/1140369-1473.html

Higiene Oral

Como este blog está em seu início, achei interessante abordar temas básicos da Odontologia e de grande importância, de uma forma simples e direta!

Remover a placa bacteriana é a meta principal da higiene da boca.
Existem muitas maneiras de escovar os dentes, mas o importante é limpar TODOS os lados de TODOS os dentes, sempre pensando no principal: remover a placa. O fio dental completa o trabalho da escova, pois limpa onde ela não alcança: entre um dente e outro.

1-      O que é placa bacteriana?
A placa bacteriana é composta de bactérias vivas e restos alimentares, que aderem aos dentes provocando a cárie dentária e doenças da gengiva.
Apresenta-se como uma massa esbranquiçada nos dentes.
Podemos senti-la também quando passamos a língua sobre os dentes.

2-      Como a placa bacteriana causa cárie?
A partir do consumo de açúcares, a placa bacteriana produz ácidos que descalcificam o esmalte-dentário.

3-      Como a placa bacteriana causa a doença da gengiva?
A placa bacteriana agride a gengiva, deixando-a avermelhada, inflamada e com tendência ao sangramento espontâneo. Se a placa não for removida acontece a sua calcificação, chamada tártaro. Quando nossa gengiva sangra facilmente, ao mínimo toque ou na escovação normal, estamos diante de uma inflamação e não significa que ela esteja machucada.

4-      Como reduzir a placa bacteriana?
Devemos fazer uma boa limpeza dos dentes com uma escova adequada (macia) e fio dental. O fio dental é utilizado para limpar entre os dentes, onde normalmente a escova não alcança. Esta limpeza deve ser realizada após as refeições e, principalmente, antes de dormir.


Muito Útil!




































Odonto Entrevista - Professor Joaquim Cerveira

PROFESSOR JOAQUIM CERVEIRA

O atual Presidente do CRO-RS, nosso entrevistado de hoje, é Mestre em Saúde Coletiva, Professor da Faculdade de Odontologia da ULBRA desde 1990, Coordenador dos Programas Extra-muros da Faculdade de Odontologia da ULBRA, Coordenador das disciplinas de Odontologia Social da Faculdade de Odontologia ULBRA, Professor de Legislação e Ética em Odontologia dos Cursos de Latu Sensu da ULBRA, Centro de Pesquisas Odontológicas São Leopoldo Mandic (Sobracursos) e Sociedade Brasileira dos Odontologistas – SOBRACID, Professor dos cursos de especialização em Saúde Bucal Coletiva do Centro de Pesquisas Odontológicas São Leopoldo Mandic (Sobracursos) e Sociedade Brasileira de Cirurgiões-dentistas – SOBRACID

Quem o influenciou a fazer Odontologia?
Meu tio e padrinho, CD Josias Mota, grande profissional e excepcional ser humano. 

Onde fez a faculdade e quais suas lembranças deste tempo?
Na faculdade de Odontologia da PUC/RS. Todas as lembranças deste tempo são boas, apesar de termos vivido os períodos da repressão.

 Como foi seu início na profissão?
Iniciei em consultório privado próprio, em dois endereços, um no bairro onde me criei e outro em uma cidade vizinha – em Cachoeirinha – onde fazia um atendimento mais popular. Um ano e meio após minha formatura ingressei como Cirurgião Dentista na Secretaria Estadual da Saúde.

Lembra quem foi seu primeiro paciente?
Foi o senhor Engenheiro Eduardo Pedro de Araújo Drügg, que foi meu paciente até o seu falecimento, e muito mais do que isso, grande e querido amigo.

Qual foi o seu caso mais difícil?
Tive algumas situações difíceis, pois atendia, como conveniado, os internos da Clínica Pinel. Como exemplo, uma jovem interna que frequentava semanalmente o consultório e jamais abriu sua boca.

E um que tenha sido o mais gratificante?
Acho que a grande satisfação da profissão é que todos os “casos” resolvidos são gratificantes, independentemente da sua complexidade.

Lembra de algum caso pitoresco acontecido no consultório?
O caso de uma senhora, mãe e avó de pacientes meus, que me procurou para um tratamento e na primeira consulta, quando falou comigo, me comunicou que iria procurar outro profissional porque a música da sala de espera era muito irritante. Prestei, então, atenção na música e verifiquei que a secretária, uma jovem, havia escolhido como música ambiental as músicas do seu gosto, e a paciente realmente tinha razão. Mudei a estação e convenci a senhora a me dar uma segunda oportunidade. Outra que ficou comigo até falecer.

Qual foi o marketing que usou para começar?
Escolhi o bairro onde eu era conhecido, e com a ajuda da família, especialmente de minha mãe, passei a me anunciar para os amigos e conhecidos.

Tem algum parente Cirurgião Dentista?
Hoje, a esposa e um filho. Antes, o tio referido no primeiro questionamento.

Quem é seu maior ídolo na Odontologia?
Foi o Cirugião Dentista Josias Motta.

E quem fez mais pela classe nestes anos todos?
Aqui no estado temos vários nomes ilustres e dedicados às causas da Odontologia em todos os setores: da docência, do associativismo e da própria profissão, mas para me fixar em um único nome farei uma homenagem ao saudoso Professor Flávio Antonio Luce.

Qual seu livro ou autor preferido na profissão?
Tenho vários, mas atualmente meu interesse maior recai sobre a área da saúde coletiva e também sobre legislação, ética e bioética.

Como está vendo o presente momento na Odontologia?
Com preocupação. Identifico o enorme avanço científico e tecnológico da nossa profissão, mas vejo com apreensão o momento mercadológico da Odontologia.

Qual caminho vê como mais indicado para a profissão?
Acredito que o melhor caminho é o da união da classe; a formação do verdadeiro “espírito de corpo”. Somente assim poderemos enfrentar os desafios futuros da nossa profissão com alguma perspectiva de sucesso.

A que atribui o seu sucesso profissional?
Não sei se posso considerar-me um profissional de sucesso, mas sempre trabalhei gostando do que faço e o faço com honestidade, dedicação e humanismo.
 
Como espera ser o futuro da profissão?
Espero que seja muito bom, mas para isso acontecer temos que agir, e acho que as ações devem ser na direção do fortalecimento da classe. Temos que nos ver mais como um coletivo do que nos preocuparmos individualmente com a nossa profissão.

Deixe uma sugestão ou mensagem para os mais novos:
Acreditem, perseverem, pois a Odontologia é uma grande profissão.

A palavra é sua para suas considerações finais.
Gostaria de agradecer a oportunidade por este espaço e reiterar minha confiança no futuro da nossa profissão.


Fonte e texto completo: http://www.odontex.com.br/entrevistas/joaquim_cerveira.htm