segunda-feira, 15 de março de 2010

Cárie de Mamadeira


A cárie de mamadeira, doença que afeta bebês, é um problema que assola crianças do mundo inteiro. Pouca gente sabe, mas o leite materno pode provocar a cárie de mamadeira, caso não haja uma higienização adequada, realizada posteriormente a mamada. Está relacionada à ingestão de líquidos açucarados durante a noite. Ou seja, aquela história de que não devemos dormir sem escovar os dentes também vale para os pequeninos. Depois da mamada, o leite fica estagnado na boca da criança. Além disso, a salivação da criança diminui durante o sono. Esses fatores, associados a uma má higiene da boca, fazem com que a cárie se desenvolva muito rapidamente, causando grandes estragos nos dentes das crianças.

Para prevenir a cárie de mamadeira é necessário que a mãe e a criança tenham uma orientação e entendam o que é a doença cárie e como combate-la. Dados mostram que aos 3 anos de idade, 60% das crianças já tiveram cárie, portanto a prevenção deve começar antes. Deve-se iniciar com orientações às gestantes, e acompanhar a criança desde o nascimento do primeiro dente.

A cárie é uma doença infecciosa, transmissível e multifatorial, ou seja, depende de vários fatores para o seu desenvolvimento, o principal é o hábito, ou melhor a higiene bucal e a dieta. Os primeiros sinais da cárie são manchas brancas e opacas que, caso o processo não seja interrompido, evoluem para uma cavitação - perda de estrutura do dente. A cárie de mamadeira pode afetar todos os dentes, mas acomete inicialmente os incisivos superiores (dentes da arcada superior localizados na região anterior). Mais tarde poderá atingir os molares ("dentes do fundo"), progredindo segundo a seqüência de erupção dos dentes.

Para evitar isso, é importante que a mãe não adicione açúcar ao leite da mamadeira e evite que a criança durma logo depois de mamar. Deve-se ainda escovar o dente da criança depois de cada mamadeira, e antes de dormir a escovação deve ser reforçada com um pouco de pasta de dente, já que o período da noite é o mais crítico para o surgimento de cáries. Com o tempo, a mamadeira deve ser substituída gradativamente por líquidos no copo. Para as crianças pequenas que ainda não sabem escovar os dentes, os especialistas recomendam a aplicação, uma vez ao dia, de quatro gotas de flúor em cada ponta de um cotonete para fazer massagem, limpar os dentes e a gengiva do bebê, ou ainda, uma limpeza mais fácil e prática com uma gaze e água, massageando a gengiva do bebê.

Em caso de qualquer dúvida procure um dentista - ele é um profissional habilitado e terá prazer em contribuir para que seu filho cresça e se desenvolva de forma saudável.

Dentição decídua saudável

Cárie em estágio inicial devido ao uso de mamadeira em criança de 2 anos.

Cárie atingiu todas as faces dos dentes.

Flúor


O que é o Flúor?

O flúor é um mineral natural largamente distribuído pela natureza. É um elemento relativamente comum, compondo algo em torno de 0,065% do peso da crosta terrestre, sendo o décimo terceiro elemento em abundancia, mais comum que o cloro. Na sua forma natural é encontrado sob a forma de gás, mas como possui alta reatividade química, o flúor se associa a outros elementos formando compostos. Na forma de fluoreto é incorporado na estrutura do osso e dos dentes. Estes compostos possuem a capacidade de interferir no processo de desmineralização e remineralização do esmalte dentário.

Alguns alimentos contém flúor, assim como a água fornecida pelas empresas de serviço público. Para a sua utilização na fluoretação da água de abastecimento no Brasil estão regulamentados o Fluoreto de Sódio, a própria Fluorita, e sendo os mais adotados o Ácido Fluossilíco e o Fluoreto de Sódio.


Como o flúor atua?

O esmalte dentário contém mais flúor sob a forma de fluoreto de cálcio. Um suprimento de flúor é essencial à formação adequada do esmalte e qualquer deficiência a este respeito resultará em esmalte pouco denso e de qualidade inferior. O mecanismo de ação do flúor pode ser explicado pelo aumento da resistência do esmalte à desmineralização durante o desafio cariogênico, pelo aumento da velocidade de maturação pós-eruptiva do esmalte, pela remineralização das lesões, pela interferência no metabolismo dos microorganismos e também pela redução da profundidade de sulcos e fissuras.

O uso do flúor na odontologia sempre incomodou a vários setores da sociedade, sendo científicos ou até mesmo políticos. Sempre houve resistência e uma séria oposição contra a fluoretação da água. O que se pode constatar e garantir para a população é que a água tratada e fluoretada, mantida nas condições físico-químicas ideais e com uma concentração de flúor controlada através da vigilância epidemiológica, é um agente promotor de saúde bucal. 

O uso tópico do flúor deve ser empregado durante e após a erupção dos dentes. A aplicação local direta de flúor é mais importante que a sistêmica. Dentifrícios, soluções para bochechos, soluções ou géis para aplicação tópica e vernizes fluoretados, além da incorporação em materiais de uso odontológico, são algumas formas de apresentação do flúor de ação tópica.

O fluoreto pode agir no controle da cárie dentária por interferir nos processos de Des e Re, atuar na mineralização pós-eruptiva e por inibir o metabolismo bacteriano. Todas essas ações do fluoreto sofrem interferência da sua concentração, pH, composição e tipo de veículo no qual ele está contido.

O fluoreto não “previne” à cárie dentária, já que não tem significativa influência sobre os fatores etiológicos (estrutura dentária, dieta ou bactérias). Na verdade, o fluoreto “controla” o aparecimento da lesão de cárie clinicamente, por interferir na dinâmica DES e RE. A atividade constante do fluoreto na interface biofilme/esmalte é mais importante para reduzir a solubilidade do esmalte que a alta concentração de fluoreto incorporado nos cristais de esmalte. Atualmente, o acesso ao fluoreto no ambiente bucal por meio da água e dentifrícios fluoretados, que são os métodos mais utilizados, consegue cumprir seu papel no controle da cárie dentária para a maioria dos indivíduos. No entanto, no panorama mundial, a cárie se encontra polarizada, havendo ainda hoje alguns pacientes com alta atividade da doença. Nesses pacientes, o conhecimento do tempo necessário para o término das reservas de fluoreto, de terapias para aumentar a concentração de fluoreto presente, assim como de agentes ou outros íons capazes de potencializar os seus efeitos, deve ser intensificado.

sábado, 13 de março de 2010

Sorrisão # 4


Descubra quem é o dono deste lindo sorriso, clique aqui!

Zebra Dentista

Uma zebra muito corajosa, no Zoológico de Zurique, desafiou a morte e enfiou sua cabeça dentro da boca de um hipopótamo, animal feroz que poderia facilmente matá-la.
Mas o que se viu em seguida, para o espanto dos visitantes do zoológico, a zebra começou a limpar os dentes do hipopótamo com generosas lambidas.
“A zebra ainda é filhote”, afirmou Jill Sonsteby, o fotógrafo americano que tirou a foto. “Ela não notou o perigo e fez uma higiene bucal por cerca de 15 minutos”, contou o fotógrafo.

domingo, 7 de março de 2010

Diversão na Hora de Escovar os Dentes

Cremes dentais...

Para proteger a escova de dentes...
Essa é para não esquecer de escovar os dentes...

Você pode até ganhar um brinquedo...
Só não esqueça de também usar o fio dental...


E o seu dentista fica feliz!


Diastemas na Moda

Sabe aquele espaço entre um dente e outro? Aqueles milímetros entre os incisivos centrais? Virou moda!!!
Segundo a Daily Front Row, revista que circula durante a semana de moda de Nova York, a nova onda é “the Gap”.
"O gap", aquele diastema nos dentes anteriores que qualquer ortodontista condenaria à prisão em aparelhos metálicos para correção.
Os milímetros entre um dente e outro já tinham virado notícia desde que a modelo Lara Stone começou a estampar as principais revistas de moda.
Também, uma das finalistas do America’s Next Top Model da última edição foi obrigada a preencher o seu gap porque Tyra Banks não simpatizava com ele. Mal sabia ela que um movimento "pró-vão" estava chegando a passos ligeiros.



Depois que a revista fez a brincadeira na capa, colocando um espaço falso entre os dentes da top Frida Gustavsson, o assunto não sai das rodas de fashionistas.

Confira algumas celebridades com seus diastemas anteriores:
(Vanessa Paradis)

(Jane Birkin)  

(Madonna)
  
(Brigitte Bardot)

Exemplos entre os homens:
(Laurence Fishburne)

(Sergio Loroza)




(Lewis Hamilton)

segunda-feira, 1 de março de 2010

Sorrisão # 3


Gostou do sorriso? Cheio de charme, não é??

Odonto Entrevista - GOVERNADOR JAIR SOARES

Jair Soares é um dos Cirurgiões Dentistas que foram governadores do estado do Rio Grande do Sul, o outro foi Germano Rigotto.


Quem o influenciou a fazer Odontologia?
Influência não houve. Era na verdade uma questão de vocação.
                                
Como foi seu inicio de profissão?
Início de profissão sempre é difícil. Trabalhei na Assembléia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul no gabinete odontológico, no qual, concomitantemente exerci o cargo de Chefe de Departamento de Saúde.
                                
Lembra de algo diferente desta época?
Era contratado também pela Associação dos Funcionários Públicos do Estado e atendia só na minha especialidade, odontopediatria. Nos hospitais Ernesto Dornelles e Beneficiência Portuguesa fazia atendimento com anestesia geral, de crianças emocionalmente instáveis.
                                
E um bom momento na profissão?
Um dos melhores momentos foi quando, em 1971/79, exerci o cargo de Secretário de Estado da Saúde e Meio Ambiente. Em convênio com o CRO/RS, ABO/RS e o nosso Sindicato, fizemos um trabalho extraordinário de combate permanente ao exercício ilegal da Odontologia (charlatanismo). Chamamos a atenção dos nossos colegas brasileiros, e por isso visitamos vários Estados participando de simpósios, congressos e fazendo conferências.
                                
Quem fez mais pela Odontologia?
Tenho dificuldade em citar nomes, pois foram tantos que me ajudaram e que por essa razão ficaram mais que colegas de profissão, mas sim amigos verdadeiros. Tenho medo de esquecer alguém e cometer uma injustiça.
                                 
Qual a revista que mais gosta?
Recebo regularmente as revistas da ABO/RS e ABO Nacional, bem como a do CRO/RS.
                                
Cite algo que mudou sua vida?
Em decorrência de ter assumido a Secretaria da Saúde, fui obrigado, para bem cumprir aquela missão, parar com o exercício profissional, que fiz durante onze anos continuadamente.
                                 
Comente algo que o marcou?                                
Não é demais lembrar que na Secretaria de Saúde nós criamos uma lei que obriga, em todo o Estado, a adição do flúor silicato de sódio nas hidráulicas, fazendo com esta medida um trabalho pioneiro no Brasil, que sem sombra de dúvida, reduz em 63% a cárie dentária. Isto, ao lado do progresso faz com que nossas crianças tenham os dentes protegidos, um belo sorriso e uma saúde melhor porque ela começa pela boca.

Como vê o presente momento da profissão?
A Odontologia sob o ponto de vista de modernização e atualização técnica aprimorou-se muito e vive pelas descobertas, avanços científicos em momento excepcional.
                                
Poderia deixar uma mensagem aos mais novos?
Nós Cirurgiões Dentistas, de ontem e de hoje, devemos cada vez mais, valorizar a nossa profissão, mantendo-nos atualizados.