sexta-feira, 23 de abril de 2010

Operação Sorriso!

Muitos tem vergonha de sorrir...
Outros, não tem vergonha alguma!


Mas está certo! Vamos sorrir e ser feliz!
Seu sorriso pode estar estampado em propagandas!
Qualquer probleminha no seu sorriso, procure um dentista. Mas não aqueles à moda Indiana!
Nos dias de hoje não tem porque continuar banguela...
...E nem ter medo de dentista.
O dentista é seu amigo!
E quer que você sorria feliz!!!







SORRIA SEM VERGONHA!

Vida de Dentista

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Dia de Tiradentes


Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes foi um dentista, tropeiro,minerador, comerciante, militar e ativista político que atuou no Brasil colonial, mais especificamente nas capitanias de Minas Gerais e Rio de Janeiro. No Brasil, é reconhecido como mártir da Inconfidência Mineira, patrono cívico do Brasil e herói nacional.
O dia de sua execução, 21 de abril, é feriado nacional. A cidade de Tiradentes (Minas Gerais), antiga Vila de São José do Rio das Mortes, foi nomeada em sua homenagem.
Nascido em uma fazenda no distrito de Pombal, próximo ao arraial de Santa Rita do Rio Abaixo. Joaquim José da Silva Xavier era filho do Reinol Domingos da Silva Santos, proprietário rural, e da brasileira Maria Antônia da Encarnação Xavier, tendo sido o quarto dos sete filhos.
Em 1755, após o falecimento de sua mãe, segue junto a seu pai e irmãos para a sede da Vila de São José; dois anos depois, já com onze anos, morre seu pai. Com a morte prematura dos pais, logo sua família perde as propriedades por dívidas. Não fez estudos regulares e ficou sob a tutela de um padrinho, que era cirurgião. Trabalhou como mascate e minerador, tornou-se sócio de uma botica de assistência à pobreza na ponte do Rosário, em Vila Rica, e se dedicou também às práticas farmacêuticas e ao exercício da profissão de dentista, o que lhe valeu o apelido (alcunha) de Tiradentes, um tanto depreciativa. Não teve êxito em suas experiências no comércio.
Em 1780, alistou-se na tropa da Capitania de Minas Gerais; em 1781, foi nomeado comandante do destacamento dos Dragões na patrulha do "Caminho Novo", estrada que servia como rota de escoamento da produção mineradora da capitania mineira ao porto Rio de Janeiro. Foi a partir desse período que Tiradentes começou a se aproximar de grupos que criticavam a exploração do Brasil pela metrópole, o que ficava evidente quando se confrontava o volume de riquezas tomadas pelos portugueses e a pobreza em que o povo permanecia. Insatisfeito por não conseguir promoção na carreira militar, tendo alcançando apenas o posto de alferes, patente inicial do oficialato à época, e por ter perdido a função de comandante da patrulha do Caminho Novo, pediu licença da cavalaria em 1787.
Morou por volta de um ano na cidade carioca, período em que idealizou projetos de vulto, como o bondinho do Pão-de-Açúcar e a canalização dos rios Andaraí e Maracanã para a melhoria do abastecimento d'água no Rio de Janeiro; porém, não obteve aprovação para a execução das obras. Esse desprezo fez com que aumentasse seu desejo de liberdade para a colônia. De volta às Minas Gerais, começou a pregar em Vila Rica e arredores, a favor da independência daquela província. Organizou um movimento aliado a integrantes do clero e da elite mineira, como Cláudio Manuel da Costa, antigo secretário de governo, Tomás Antônio Gonzaga, ex-ouvidor da comarca, e Inácio José de Alvarenga Peixoto, minerador. O movimento ganhou reforço ideológico com a independência das colônias estadunidenses e a formação dos Estados Unidos da América. Ressalta-se que, à época, oito de cada dez alunos brasileiros em Coimbra eram oriundos das Minas Gerais, o que permitiu à elite regional acesso aos ideais liberais que circulavam na Europa.

E assim, numa manhã de sábado, 21 de abril de 1792, Tiradentes percorreu em procissão as ruas do centro da cidade do Rio de Janeiro, no trajeto entre a cadeia pública e onde fora armado o patíbulo. O governo geral tratou de transformar aquela numa demonstração de força da coroa portuguesa, fazendo verdadeira encenação. A leitura da sentença estendeu-se por dezoito horas, após a qual houve discursos de aclamação à rainha, e o cortejo munido de verdadeira fanfarra e composta por toda a tropa local. Bóris Fausto aponta essa como uma das possíveis causas para a preservação da memória de Tiradentes, argumentando que todo esse espetáculo acabou por despertar a ira da população que presenciou o evento, quando a intenção era, ao contrário, intimidar a população para que não houvesse novas revoltas.
Executado e esquartejado, com seu sangue se lavrou a certidão de que estava cumprida a sentença, tendo sido declarados infames a sua memória e os seus descendentes. Sua cabeça foi erguida em um poste em Vila Rica, tendo sido rapidamente cooptada e nunca mais localizada; os demais restos mortais foram distribuídos ao longo do Caminho Novo: Santana de Cebolas (atual Inconfidência, distrito de Paraíba do Sul), Varginha do Lourenço, Barbacena e Queluz (antiga Carijós, atual Conselheiro Lafaiete), lugares onde fizera seus discursos revolucionários. Arrasaram a casa em que morava, jogando-se sal ao terreno para que nada lá germinasse.

sábado, 17 de abril de 2010

Disfunção Temporomandibular

Para compreender as causas de dor orofacial associadas à disfunção temporomandibular, devemos entender o que é a articulação temporomandibular (ATM) e sua ação fisiológica durante movimentos, como na mastigação.
O que é a articulação temporomandibular?
É a articulação que se dá entre a cabeça da mandíbula e o osso temporal. A ATM é uma articulação sinovial e, portanto, permite amplos movimentos da mandíbula em torno de um osso fixo, que é o temporal.
Há também uma relação de interdependência da ATM com a oclusão dos dentes de ambos os arcos, o que a torna peculiar e funcionalmente complexa.

Outras peculiaridades da ATM que a distinguem das demais articulações do corpo são: o revestimento de fibrocartilagem; a cabeça da mandíbula cresce na superfície, sem cartilagem epifisária; as faces articulares são bastante discordantes; um disco articular se coloca entre as faces articulares; tem movimentos de rotação e de translação associados; impulsos proprioceptivos são gerados também ao nível dos dentes e estruturas bucais.
Veja o vídeo mostrando os movimentos realizados pela mandíbula:

A dor oro-facial associada à disfunção temporomandibular pode ser proveniente da articulação dentária interligada à ATM, por isso vamos analisar conceitos referentes à oclusão dentária.
O que é Oclusão?
Oclusão é o fechamento (Howaiss).
É a relação entre todos os componentes do sistema mastigatório em função normal, disfunção e parafunção (Dorland's).
Oclusal = pertinente às superfícies de contato dos dentes oponentes ou às vertentes oclusais oponentes, ou às superfícies mastigatórias de molares e pré-molares.
Oclusão Funcional Ideal
1. Quando a boca fecha, os côndilos estão na sua posição mais súpero-anterior apoiados nas vertentes posteriores das eminências articulares com os discos interpostos apropriadamente. Nesta posição existem contatos homogêneos e simultâneos de todos os dentes posteriores. Os dentes anteriores também contatam, porém mais suavemente do que os dentes posteriores.
2. Todos os contatos dentários exercem carga axial a partir das forças olcusais.
3. Quando a mandíbula realiza movimentos laterotrusivos, as guias adequadas do lado laterotrusivo (de trabalho) estão presentes para desocluir o lado mediotrusivo (de não trabalho) imediatamente. A guia mais desejável é fornecida pelos caninos.
4. Quando a mandíbula realiza movimento protrusivo, as guias adequadas estão presentes nos dentes anteriores para desocluir os dentes posteriores imediatamente.
5. Na posição de cabeça ereta e na posição alerta de alimentação, os contatos dentários posteriores são mais fortes do que os contatos dentários anteriores.
O que é Dor Oro-facial?
É uma condição de dor associada aos tecidos da cabeça, face, pescoço e estruturas da cavidade oral. Incluem-se, entre outras, as dores de cabeça, dores com origem no sistema nervoso, dores psicogênicas (relacionadas com fatores psicológicos) e dores por doenças graves, como tumores e AIDS. O tratamento deve ser realizado por uma equipe de profissionais: dentistas, médicos, fisioterapeutas, psicólogos, pois essa condição deve ser abordada com uma visão do paciente como um todo, não se tratando apenas a dor no momento em que o indivíduo a está sentindo.

As dores de origem dentária continuam sendo as mais comuns na população em geral, mas levantamentos sobre atendimentos de pacientes que apresentam disfunções da articulação temporomandibular demonstram que a dor está presente em 97% dos casos.




O que é a Disfunção Temporomandibular?
Disfunção é a perturbação do funcionamento de um orgão ou aparelho. 





Disfunção Temporomandibular é uma disfunção que ocorre na articulação da mandíbula. Seus sintomas são dores musculares, articulares, zunidos no ouvido, otite, limitação na abertura da boca, bruxismo, enxaquecas, inchaços na face ao lado da boca, dor de ouvido, surdez momentânea e ruídos articulares.








A articulação temporomandibular permanece à frente do ouvido e executa os movimentos feitos pela mandíbula. Qualquer alteração na articulação provoca estalo, dores de cabeça, pescoço, olhos, face e dentes. O principal causador da disfunção é o mau relacionamento dos dentes com a mandíbula, mas o stress e doenças sistêmicas ou hormonais também contribuem para a doença.









Muitos dos sintomas relacionados a disfunção da ATM, fazem com que o paciente deixe de ir ao trabalho ou a escola, prejudicando os seus afazeres do dia a dia. Afetam bastante a vida do paciente, podendo intensificar o estresse, a irritabilidade e os problemas emocionais, podendo com isso, aumentar a intensidade, desses sintomas.











A simetria ditada pela ATM tem que ser constante. Unida com as articulações da coluna cervical e cintura escapular, a ATM trasforma-se em um perceptível péndulo, consequentemente sua distonia provocará distúrbios posturas diretos na coluna cervical e na cintura escapular, promovendo assim, alterações posturais que podem acometer a coluna lombar e os membros inferiores. Não existe sequer exatas confirmações científicas de que a disfunção da ATM pode levar a tal disfunção postural de lombar para baixo, mas muitos estudos na área da saúde demonstraram alguns pacientes com tais alterações posturais e possuiam uma disfunção temporomandibular.















VÍDEOS RELACIONADOS AO ASSUNTO:






















Tratamento





Para o tratamento ATM, o primeiro passo é à obtenção do diagnóstico correto. O diagnóstico encontra-se na avaliação clínica. Dada a complexidade do sistema estomatognático (mastigador) o exame clínico compreenderá:
- Avaliação dos músculos mastigadores.
- Avaliação da oclusão dental.
- Avaliação dos movimentos da mandíbula.
- Avaliação das ATMs.






A disfunção da ATM de modo geral é mais fácil de ser tratada quando se encontra no processo inicial. A resposta ao tratamento, que varia de paciente para paciente, está diretamente relacionada à localização (músculos, ATM ou ambos) e ao tempo em que o problema existe. O não tratamento precoce pode levar a alterações intra-articulares da ATM e musculares sérias. 

1.   A indicação de cirurgia da ATM é restrita, atualmente, a pouquíssimos casos.
2.   Placa Interoclusal é indicada em quase todos os casos. Diversos são os tipos de placas interoclusais e a indicação precisa está na dependência do diagnóstico do caso.
3.   Coronoplastia significa ajuste oclusal pordesgaste seletivo. Por tratar-se de tratamento irreversível a sua indicação também é restrita.
Outros “tratamentos fisioterápicos”, empregado no tratamento das ATMs, são os exercícios e os aparelhos eletrônicos, que visem paliativamente, o relaxamento muscular e redução dos sintomas dolorosos ou trismos de origem muscular (como no caso do tens), o laser infravermelho, entre outros. Esses aparelhos fazem, que libere pelo nosso corpo, uma substância chamada de endorfina, que tem efeito calmante, relaxante e analgésico (muitos pacientes relatam também, sentirem sonolência). Quando praticamos atividades esportivas, também, temos liberação de endorfina.
O tratamento é multidisciplinar. A fisioterapia associada ao tratamento odontológico trás resultados positivos. A fisioterapia trabalha com massagem facial e cervical, mobilizações articulares e teciduais, e correção postural. 

terça-feira, 6 de abril de 2010

Diastemas Dentários

A idéia de sorriso perfeito corresponde, hoje em dia, a um sorriso branco, saudável, e no qual os dentes se encontram perfeitamente alinhados, não havendo qualquer espaço entre eles.

O que é um diastema?
Um diastema é a ausência de contato entre dois ou mais dentes consecutivos, e é mais vulgarmente encontrada entre os dentes anteriores, originando um resultado estético insatisfatório. 
Os diastemas são considerados normais na dentição de leite, uma vez que os dentes de leite são em menor número que os dentes definitivos, e são um sinal de que existirá, à partida, espaço para a erupção de todos os dentes definitivos (Espaços interdentais, Tipo I, segundo Baume).
As causas dos diastemas estão freqüentemente relacionadas a anomalias de tamanho e forma dos dentes e a discrepâncias dentoalveolares. Fatores como freio labial persistente, hábitos nocivos, fusão imperfeita da linha média, overbite acentuado, agenesias, dentes supranumerários, odontomas, cistos e fissuras palatais podem contribuir para diastemas congênitos ou adquiridos.

A presença de diastema pode interferir na harmonia do sorriso tanto funcionalmente com migrações dentárias patológicas, como periodontalmente através da falta de proteção à gengiva subjacente causada pela ausência de ponto de contato. Além disso, esteticamente consiste em desarmonia quando presente em região anterior e problemas de dicção podem ser encontrados nestes casos.

Aproximadamente 22,33% dos adultos apresentam diastemas em linha média e diversas opções de tratamento existem para estes casos como: tratamento ortodôntico, restaurações diretas com resinas compostas (técnica da mão-livre e “mock up”) e restaurações indiretas de facetas e coroas totais.

Relato de Caso Clínico
Paciente de 38 anos, sexo feminino, queixando-se da aparência de seu sorriso, relatando que o espaço negro em sua arcada anterior superior trazia baixa auto-estima e prejudicava seu convívio social.
Com um compasso de pontas secas, verificou-se a largura dos incisivos centrais e ficou constatado que estavam estreitos em comparação ao diâmetro mésio-distal dos incisivos laterais. Desta forma, poderiam ser aumentados até o fechamento completo do diastema entre eles.
Um modelo de estudo foi utilizado no planejamento e uma simulação do fechamento do diastema através da escultura por ceras foi realizada com o objetivo de reanatomizar os incisivos centrais e obter um correto contato interproximal. As novas dimensões obtidas para os dentes em questão seguiram as regras da proporção áurea e de um correto perfil de emergência. 
Uma barreira de silicone por condensação foi confeccionada adaptando-se o material de moldagem sobre as faces palatinas do modelo encerado, cobrindo levemente as porções incisais dos dentes. Isto foi levado à boca e serviu como guia para realização das restaurações de resina na boca.
Nenhum preparo cavitário ou bisel foi realizado e a seleção de cor foi realizada antes do isolamento. Para região correspondente à dentina, optou-se pela cor OA2 (Ice, SDI) e tal seleção se deu no terço cervical do dente porque a espessura de esmalte nesta área é menor e a cor da dentina fica mais evidente. Para região correspondente ao esmalte, optou-se pela cor A1 (Ice, SDI) e tal seleção se deu no terço incisal por ser de maior espessura de esmalte e menor de dentina.
O isolamento relativo com roletes de algodão e expansores de boca foi escolhido porque as invaginações do lençol de borracha para dentro do sulco gengival poderiam causar alguma desadaptação.
O tempo de condicionamento com ácido fosfórico em a 37% (Super Etch, SDI) foi de 15 segundos e abrangiu uma área de 2mm em direção ao centro do dente. Após a lavagem abundante pelo dobro do tempo de condicionamento ácido, a secagem ocorreu de forma rigorosa, pois não existem problemas relacionados com colapso de fibras colágenas.
Foi utilizado um sistema adesivo convencional simplificado (Stae, SDI).
Para inserção da primeira camada, a resina composta micro-híbrida na cor A1 foi adaptada ao silicone na região correspondente ao diastema e o conjunto silicone/resina levado em posição e fotoativado por 20 segundos, simulando o esmalte palatal.
Novos incrementos foram depositados sobre este primeiro, aumentando a espessura da restauração até que esta atingisse o nível do esmalte vestibular. O último incremento recebeu o auxílio de um pincel de ponta chata para melhor adaptação e textura superficial.
O acabamento final e polimento das restaurações foram realizados na consulta seguinte, uma vez que só devem ser feitos após o período de 24 horas, a fim de aguardar o fenômeno de expansão higroscópica da resina composta que compensará, em parte, a contração de polimerização, e também para que haja uma máxima conversão polimérica das resinas compostas fotoativadas.

Imagens