domingo, 26 de dezembro de 2010

Olha meu dente Dr. #1!


Primeira postagem de uma seqüência de imagens da série: "Olha meu dente Dr.!"
Só para achar engraçadinho mesmo! :P

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Feliz Natal

Papai Noel vai ao Dentista

Papai Noel acordou cedo, havia um lugar que ele tinha que ir. Não era a um restaurante ou no cinema. Não era para o campo de golfe onde o Papai Noel gostava de jogar. Ele tinha um lugar muito especial para ir hoje.
Algumas pessoas não gostam, mas isso não era problema para o Papai Noel. Ele sempre vai ao dentista para cuidar bem de seus dentes.
Mas Papai Noel não foi sempre bom com os seus dentes e não escovava em alguns dias. Ele achava que tinha uma cavidade e estava com vergonha de mostrar.
Então Papai Noel tinha que ir ao centro e estar lá na hora certa. Ele entrou em seu carro e dirigiu, sua consulta é às 9:00.
Papai Noel saiu de seu carro e entrou pela porta. Ele sabia exatamente para onde ir, ele já esteve lá muitas vezes antes.
Quando ele entrou na sala de espera para encontrar um lugar para sentar, ele tinha de verificar várias cadeiras para encontrar uma que se encaixasse.


Também na sala de espera há prateleiras onde você pode olhar. E enquanto você aguarda pode percorrer as páginas de um bom livro.
Mas o Papai Noel não têm tempo para ler, ele só tinha um minuto. O dentista chamou o seu nome e estava pronto para começar.
O dentista de Papai Noel é o bom e velho Doutor Lee. Que cuida sempre dos dentes do Papai Noel.
Doutor Lee apenas sorriu quando ele se sentou e a cadeira girou fazendo Papai Noel rodopiar. E alegre Papai Noel soltou uma gargalhada, fazendo com que todos do consultório sorrissem!
Primeiro o dentista tirou o seu raio-x e fotografou seus dentes, para mostrar ao Papai Noel o que tinha dentro de sua boca, em cima e o que estava embaixo.
Então Papai Noel abriu a sua boca tão grande como poderia ser. E tem seus dentes examinados pelo bom e velho Doutor Lee. Doutor Lee olhou ao redor onde os germes podem ser desagradáveis. E não encontrou nada de grave, apenas que o Papai Noel precisava limpar bem seus dentes.
Então tudo o que tinha que fazer neste dia era deixar os dentes bem limpos , e fazer brilhar o velho sorriso do Papai Noel. Para fazer isso o Doutor Lee utilizou uma escova de dentes!
Quando o Doutor Lee tirou as luvas e disse o que foi feito, Papai Noel agradeceu e exclamou: "Ei, que foi divertido".
Então Noel saiu da cadeira e quen foi até a sala de espera do consultório, viu que todos os elfos estavam na fila para o que o bom e velho Doutor Lee também os deixassem com o sorriso brilhante.
Sim, mesmo os elfos e renas devem saber como cuidar direito dos dentes. Para escovar os dentes e usar fio dental todos os dias mantendo-os limpos e brancos.

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Escova de dentes infantil

Avaliação da apresentação comercial de escovas dentais infantis disponíveis no Brasil

As escovas dentais têm importante papel não só no controle da placa bacteriana, mas também na remoção das manchas extrínsecas que se formam sobre a superfície dos dentes e na liberação dos princípios ativos que contêm os dentifrícios. Uma escova dental deve ser capaz de atingir e limpar eficientemente quase todas as áreas da boca, limpando de forma efetiva as superfícies dos dentes. Apesar de não haver um consenso sobre qual tipo de escova seria mais efetiva, a maioria dos profissionais concorda que a escova dental é um recurso único e valioso de higienização bucal.

O uso de escovas dentais ocorreu primeiramente na China por volta de 1600 a.C., desde então, as escovas dentais têm evoluído acompanhando os conhecimentos científicos. Esses instrumentos transformaram-se de instrumentos simples e rústicos com cerdas de pelo de porco a sofisticados instrumentos mecânicos de higiene bucal. Atualmente, podemos encontrar no comércio escovas com diversas formas, tamanhos, desenhos, cabos, cerdas e cabeças. Para motivar a criança a realizar o ato de escovação, a indústria vem lançando mão de vários atrativos comerciais tais como cor, cheiro, desenho de personagens infantis, escovas elétricas, entre outros recursos.

Foram avaliadas 15 marcas de escovas dentais indicadas para uso infantil e fabricadas por cinco diferentes empresas. Foram avaliados: fabricante, dureza das cerdas, instruções sobre o uso do produto, indicação de idade, tempo de uso, desenhos de personagens infantis, selo da Associação Brasileira de Odontologia (ABO), preço, material utilizado no cabo, comprimento das cerdas (mm) e presença de corante nas cerdas.

Resultados: Um total de 87% das escovas informava sobre a necessidade de troca a cada 3 meses, 73% instruíam sobre uso, 47% possuíam o selo da ABO, 60% apresentavam desenhos infantis e 73% possuíam cerdas de 10 mm de comprimento. O preço variou entre R$1,00 a R$8,55.

Alguns dos requisitos das escovas dentais preconizados pela American Dental Association são: tufos com o mesmo comprimento, cabeças e hastes situadas em um mesmo eixo, peso leve, impermeável à umidade, fácil limpeza, cabeça com tufos 3×6 mm, cerdas de náilon, fácil manipulação, durável e eficiente, baixo custo e esteticamente agradável. Entretanto, nem todas as escovas dentais de uso infantil avaliadas preencheram todos esses requisitos.

Um estudo prévio sobre as escovas dentais comercializadas no país concluiu que todas as escovas dentais com o selo ABO de qualidade apresentaram extremidade arredondada de cerdas e uma relação correta de classificação, por exemplo: macia, média, dura.

As escovas macias são mais apropriadas para crianças devido a diversos fatores como: a gengiva do paciente infantil tem consistência mais fina e aparência mais hiperêmica, diferindo da gengiva rosada e com aspecto de casca de laranja dos adultos saudáveis, sendo mais susceptível a danos mecânicos causados pelo instrumento de escovação.

A maioria das escovas apresentava corante em filamentos nas cerdas, que atuam como indicador de durabilidade. As cerdas são impregnadas com corantes para indicar o tempo de uso adequado das escovas através de sua descoloração, que serve como referência aos pais sobre a necessidade de substituir a escova dental. Onze escovas analisadas (73%) tinham cerdas com 10 mm de extensão, que é um comprimento adequado para caber na cavidade bucal da criança. O comprimento excessivo pode contribuir para abuso da quantidade de dentifrício, proporcionando maior risco da criança engolir dentifrício com flúor, o que poderia aumentar o risco de ocorrência de fluorose dentária.

A remoção de placa em crianças pode ser significativamente melhorada com instruções para uma boa escovação, independentemente do tipo de escova dental utilizada. Esta informação é relevante já que várias características comerciais podem aumentar o custo dessas escovas. Por exemplo, a presença de desenhos infantis no cabo pode servir como uma estratégia comercial para atrair as crianças, mas encarece o produto e não influi diretamente na qualidade da higienização do paciente infantil. A presença de corante nas cerdas também aumenta o custo, porém não é uma característica essencial de qualidade. O material do cabo também pode aumentar o custo da escova, já que os cabos de plástico e principalmente de borracha são mais caros. Assim como outras características puramente estéticas, o tipo de material utilizado no cabo não influi necessariamente no desempenho de escovação das crianças. Escovas convencionais e de baixo custo são tão eficazes quanto às escovas mais sofisticadas para higiene bucal.

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Pesquisadores que Contribuíram para a Odontologia - Per-Ingvar Brånemark


Per-Ingvar Brånemark (3 de maio de 1929) é um médico ortopedista sueco que iniciou estudos à frente de um grupo de pesquisadores da Universidade de Gotemburgo em 1965 que culminaram com a descoberta da Osseointegração. Na época, Brånemark estava interessado por pesquisa e protocolos de procedimentos cirúrgicos que resolvessem deficiências físico-funcionais de seres humanos.

No inicio dos anos de 1960, Brånemark investigava a microcirculação sangüínea em tíbias de coelho com ajuda de uma câmara de observação em titânio, quando percebeu que o metal e o osso se integravam perfeitamente, sem haver rejeição. Com base nesta observação, desenvolveu cilindros personalizados para serem implantados na tíbia de coelhos e cães.  Nascia assim a revolucionária técnica que permite a implantação de pinos de titânio no corpo humano como base para próteses dentárias e ortopédicas. A descoberta tornou o médico sueco uma lenda viva no mundo do implante e conquistou o mundo. A implantodontia moderna é toda baseada nos ensinamentos da descoberta de Brånemark.
Porque o Titânio?
Brånemark optou pelo uso do titânio. O metal era utilizado na Rússia na indústria nuclear e fora indicado por um cirurgião ortopédico, Hans Emneus, em Lund, que estudava diferentes metais empregados para prótese de articulação do quadril. Brånemark conseguiu uma amostra por meio de Avesta Jernverk, e daí em diante passou a utilizar o titânio puro na confecção da câmara de observação. Descoberto em 1791, esse metal levou mais de 100 anos para ser isolado puro e sua produção comercial exigiu o desenvolvimento de novas técnicas de torneamento para conseguir uma micro superfície aceitável pelo tecido para haver integração. O titânio é resistente ao ataque químico na sua forma sólida, sendo muito mais resistente à corrosão do que o aço inoxidável. Devido a essas propriedades, o titânio puro transformou-se no metal ideal para providenciar componentes osseointegráveis.


Ao inserir a câmara de observação de titânio na tíbia de coelhos, Brånemark utilizou um procedimento cirúrgico muito delicado para provocar a menor lesão possível aos tecidos. Ele acreditava que o osso possuía capacidade limitada de reparação e deveria ser manipulado com o mesmo cuidado que outros tecidos delicados do organismo, como olhos e cérebro. Ao final do experimento, depois de alguns meses, Brånemark demonstrou a micro-circulação como uma função interativa entre osso e medula. Por outro lado, notou com pesar que a câmara colocada na tíbia do coelho acabou tornando-se parte integral da estrutura óssea e que não poderia ser reutilizada. Portanto, gerando custos adicionais para a confecção de outras câmaras para futuras pesquisas.

Esta pesquisa com microcirculação em humanos forneceu dois importantes dados sobre o titânio: 1) o metal se integra ao tecido vivo e era reconhecido por este como parte de sua estrutura; e 2) era bem aceito pelos tecidos moles, não provocando inflamação que poderia levar à rejeição.

O primeiro paciente

 

Ao visitar o seu cirurgião-dentista, Gösta Larsson, que sofria de problemas dentais há muito tempo, ouviu falar da pesquisa desenvolvida na Universidade de Gotemburgo e decidiu candidatar-se como voluntário a participar dos estudos iniciais. Ele perdeu todos os dentes da mandíbula aos 34 anos, apresentava fissura palatina, maxila e queixo deformados, sofria constantemente com dores, tinha consideráveis dificuldades para se alimentar e falar. Até saber da pesquisa, estava resignado a viver com esses problemas. Embora os procedimentos recomendados por Brånemark e seus colegas não fossem aceitos por muitos cirurgiões orais e ortopédicos na época, o tratamento de Gösta Larsson foi o primeiro realizado e com sucesso. Foram colocados quatro implantes em sua mandíbula que serviram para conexão de uma prótese fixa. Após o procedimento, Larsson passou a mastigar, comer, falar e teve uma vida saudável até 2006, ano de sua morte.



 Para difundir a técnica de osseointegração, foram criados desde 1989 nove centros Brånemark Osseointegration Centers espalhados pelo mundo. No Brasil, há dois centros: o Branemark Osseointegration Center - São Paulo, inaugurado em 1995 e o Branemark Osseointegration Center - Goiânia, a clínica se filiou à rede em 2007, mas trabalha a terapia de osseointegração desde 1997.
O Brasil conta também com uma associação P-I Brånemark Institute Bauru, presidida pelo próprio Dr. Branemark que se iguala à matriz em Gothenburg, como referência mundial para a pesquisa e o desenvolvimento da Osseointegração aplicada à reabilitação extra-oral, intra-oral e de amputados.
Reconhecimento
           
Indicado cinco vezes ao Prêmio Nobel de Medicina. Já foi premiado em quase todos os países do mundo. Hoje, praticamente todos os procedimentos implantodônticos realizados no mundo seguem o protocolo Brånemark. Estima-se que todo ano mais de 10 milhões de pessoas são reabilitadas ao redor do mundo, 150 países. Conseguiu cidadania brasileira e, em novembro de 2004, ganhou o titulo de cidadão bauruerense, concedido pela Câmara do município. Homenageado na Celebração Mundial dos 40 anos da Osseointegração, realizado em São Paulo.