domingo, 28 de outubro de 2012

Tratamento Odontológico em Pacientes Oncológicos


O ideal para os pacientes oncológicos é que estes sejam examinados pelo cirurgião-dentista tão logo tenham sua doença diagnosticada, para que o tratamento odontológico, preferencialmente, anteceda o oncológico.

Ressecção cirúrgica, radioterapia e quimioterapia são os métodos disponíveis para o tratamento de diversos tumores, inclusive os de cabeça e pescoço. Estes tumores são aqueles que acometem lábios, tecidos moles e tecidos ósseos da cavidade oral, orofaringe, glândulas salivares, cavidade nasal e seios paranasais.

A radioterapia é um método capaz de destruir células tumorais, empregando feixe de radiações ionizantes. Uma dose pré-calculada de radiação é aplicada, por um determinado tempo, a um volume de tecido que engloba o tumor, buscando erradicar todas as células tumorais com o menor dano possível às células normais circunvizinhas, à custa das quais se fará a regeneração da área irradiada. Infelizmente sua ação não se restringe às células tumorais, atingindo o tecido sadio provocando alguns efeitos indesejáveis.

Os principais efeitos adversos observados são mucosites, redução do fluxo salivar, disgeusia, disfagia, odinofagia, maior suscetibilidade a infecções oportunistas bucais, trismo, fibrose tecidual, osteorradionecrose, lesões de cárie rampantes e a doença periodontal.


Cuidados odontológicos trans e pós tratamento oncológico
-Hábitos alimentares menos cariogênicos;
-Rigorosa profilaxia dental.
-Reavaliações freqüentes e tratamento odontológico adequado para cada fase
-Aplicações tópicas de flúor, tomando as devidas precauções, pois o flúor pode causar mais náuseas, e nos casos em que há mucosite estas aplicações devem ser adiadas, pois o flúor aumenta o desconforto;
-Para portadores de próteses totais ou parciais, recomenda-se a restrição de seu uso durante o período de tratamento, exceto quando estas tiverem a função de obturadores;
-Rigorosa higienização das próteses;
-Utilização de soro fisiológico a 0,9%, em pacientes com pouca sensibilidade uso de cremes dentais infantis
-Uso de zinco e cobre preventivamente e ao longo de toda a radioterapia, com o objetivo de minimizar as alterações do paladar
-Minucioso acompanhamento pós tratamento oncológico, a fim de identificar e/ou prevenir os efeitos tardios da radioterapia.

OUTROS CUIDADOS A SEREM TOMADOS
-Se a escova incomodar, use um cotonete para a limpeza dentária até ser possível o uso de uma escova inicialmente com cerdas extra macias e depois com cerdas macias.
-Retire e limpe as dentaduras entre as refeições.
-Mantenha os lábios umedecidos com vaselina ou manteiga de cacau
-Procure seguir uma dieta rica em proteínas e vitaminas
-Beba líquidos durante as refeições, para umedecer os alimentos e facilitar a deglutição
-Procure chupar pedaços de gelo, balas e mascar chicletes sem açúcar
-Aos alimentos sólidos, junte sempre líquidos (molhos, margarina ou manteiga derretida, maionese e iogurte).

Evite
-Escovas de dentes duras ou ásperas
-Produtos comerciais para gargarejos (pois contém álcool)
-Frutas cítricas (laranja, limão, tangerina, tomate) ou o suco dessas frutas. Prefira suco de pêssego, ameixa, maracujá, caju, pêras e evite refrigerante ou água com gás
-Alimentos duros ou ásperos
-Alimentos quentes ou muito temperados
-Lamber os lábios (pode aumentar a secura na boca e provocar rachaduras)

Abordagem profilática e terapêutica indicadas às complicações orais radioinduzidas agudas: